14 – Na Rota de Andrômeda

Pessoas idosas que apresentam transtornos demenciais esbarram frequentemente em barreiras relacionadas à falta de oportunidades. Ambientes pobres em estímulo dificultam a expressão e o desenvolvimento das capacidades e habilidades residuais, propiciando dessa forma, a instalação progressiva de incapacidades acessórias. Ampliar  as oportunidades para o convívio social e o desenvolvimento pessoal, é uma das propostas centrais da organização Israelense “Melabev”.

Dos conceitos sobre a velhice através do tempo e das culturas à construção de conceitos sobre o que sejam a saúde e a doença na velhice, passamos por certezas temporárias e verdades relativas. Trazemos esse tema ao debate neste post, abrindo a matéria com um texto de Elizabeth Uchôa: “Contribuições da antropologia para uma abordagem das questões relativas à saúde do idoso”.

Quarta, 01 Abril 2015 05:44

Documento Sitges 2009

 

Capacidad para tomar decisiones durante la evolución de una demencia: reflexiones, derechos y propuestas de evaluación.

 
Quais os elementos necessários ao ser humano para que possa tomar uma decisão adequada em sua vida, seja ela banal e cotidiana ou de alta relevância para o direcionamento do seu próprio destino?
Como caracterizar possíveis limites para que um indivíduo com transtorno cognitivo possa de fato exercer a sua autonomia?
Quem e sob quais circunstâncias pode questionar a capacidade de tomar decisão de outrem sem perpassar seus direitos e sua dignidade?
Essas e outras questões são apresentadas nesta obra sob uma ótica que leva em consideração tanto aspectos éticos e legais de ordem mais teórica quanto os elementos advindos da prática assistencial em mundo real.
Esta é a segunda versão do “Documento Sitges” desenvolvida interdisciplinarmente com a colaboração de profissionais de diversas áreas, pacientes e familiares.
A publicação foi apresentada em Novembro de 2008 durante a XL Reunião Anual da Sociedade Espanhola de Neurologia.
Um comentário divulgado sobre esta obra refere que um dos propósitos estabelecidos pelos autores no desenvolvimento do projeto foi o da defesa de “uma medicina baseada em valores”.
 
 
 
 
 
 
Leia a entrevista com a Neurologista Mercè Boada, de Barcelona, uma das idealizadoras deste livro

 

 

 

 

 

Fonte: http://www.familialzheimer.org/media/libros/documento_sitges_2009/documento_sitges_2009.pdf

 

 

 

 

Links externos relacionados:
01- La neuróloga Mercé Boada presenta en Toledo el Documento Sitges para regular la incapacitación por demencia
02- Doctora Mercè Boada Rovira
03- DOCUMENTO SITGES 2009
04- Fundación AlzheimUr [Región de Murcia]
05- Presentación del libro: “Documento Sitges 2009
06- Pepa Poch, artist and colour creator
07- La pintura colorista i emotiva de Pepa Poch al Museu Diocesà
 
JoomShaper